20 dicas para uma navegação segura na canoa polinésia

Compartilhe
segurança canoa polinésia
A segurança é responsabilidade de todos. Foto: Reprodução

A segurança é responsabilidade de todos, o tempo todo, e não é apenas o trabalho do capitão. Portanto, veja abaixo essas 20 dicas para uma navegação mais segura:

1 – Em caso de dúvida, não saia.

2 – Informe um amigo ou familiar que você está saindo para remar, para onde está indo e quando espera estar de volta. Lembre-se de mandar uma mensagem assim que retornar.

3 – Verifique a canoa TODAS as vezes em que for sair para remar. Amarrações apertadas e em boas condições? Ama estanque?

4 – Verifique as condições climáticas locais: velocidade e direção do vento, temperatura do ar / água, marés, correntes, nevoeiro? Qual é a previsão? A que horas é o pôr do sol?

5 – Cada remador deve ter um colete flutuador próprio. É recomendável que todos usem, mesmo se a remada for em águas abrigadas, como uma lagoa.

6 – Pergunte se todos no barco sabem nadar. Os não nadadores devem usar o colete o tempo todo. Todos na canoa precisam saber quem não sabe nadar.

7 – Nos meses de inverno, a hipotermia ser um problema para quem rema nos estados do sul do Brasil. Quem rema nessa região, deve estar preparado. Usar roupa de borracha e levar uma sacola estanque com toalha e roupa é uma boa forma de prevenção à hipotermia no caso de imersão na água gelada.

8 – A água fria drena o de seu corpo muito mais rápido do que o ar. Se houver dificuldade para sair da água na brevidade, cruze os braços com força, levante os joelhos perto do peito, permaneça calmo e imóvel. Se houver mais de uma pessoa, todos se agrupam e se abraçam.

9 – Treine huli regularmente. Reforce com sua tripulação quem faz o quê na hora em que a canoa virar (assista AQUI um vídeo sobre o procedimento de huli).

10 – O reflexo do sol na água pode causar danos aos olhos e à pele. Use óculos escuros, use protetor solar, roupas com proteção UV e um boné.

11 – Remadores novos na canoa tem a obrigação de informar ao capitão sobre quaisquer problemas de saúde ou uso de medicamentos que possam afetar sua atenção ou desempenho.

12 – Uma linha escura no horizonte, é o indício de ventos fortes.  Quanto mais escura a linha, mais forte é o vento. Esteja ciente disso e volte se necessário.

13 – A causa número um do hulis é a falta de comunicação. Os assentos 5 e 6 devem trabalhar juntos, especialmente quando o vento está soprando ao lado da Ama, e ficarem atentos a ela, a cada manobra executada pela da canoa.

14 – Uma ondulação grande que atinge a lateral da canoa pode ser suficiente para inundá-la. Quem vai remar no mar, em condições de fortes ventos e swell grande, deve usar sempre a saia de proteção.

15 – Coloque seu celular totalmente carregado dentro de um saco estanque e mantenha-o com você. No caso de um acidente marítimo que você não consiga resolver sozinho, disque “193” e peça socorro.

16 – Não vá mais longe da costa do que você seria capaz de nadar de volta em caso de naufrágio.

17 – No caso de remadas mais longas e em mar aberto, considere levar à bordo um geolocalizador.

18 – Considere usar um cabo de reboque na canoa sempre sair para remadas mais longas e distantes (veja esse vídeo com dicas sobre o uso coreto do cabo de reboque).

19 – Normalmente o treinamento de huli é feito em condições climáticas favoráveis. No entanto, é importante eventualmente fazer o treinamento em condições ruins de tempo, como chuva e ventos fortes, obviamente fazendo o procedimento dentro de uma margem controlada de segurança.

20 – Vale reforçar: na dúvida, não vá!

Este post é uma adaptação do artigo “Safety Tips” publicado pela Canadian Outrigger Racing Association.

Não perca nada! Clique AQUI para receber notícias do universo dos esportes de água no seu WhatsApp

Compartilhe